David Miguel Em Foco no MIC​.​PT em Maio
Este mês a secção Em Foco do MIC.PT é dedicada a David Miguel, compositor e professor com nomeação definitiva na Escola Artística do Conservatório de Música de Coimbra, que juntamente com Sara Carvalho organiza o ENCAPE 2019 – Encontro Nacional de Composição e Análise Musical: Perspectivas Educacionais, que irá decorrer nos dias 26 e 27 de Junho no Conservatório de Música de Coimbra.
David Miguel licenciou-se em Composição pela ESMAE no Porto e tem também o título de Mestre em Ensino de Música pela Universidade de Aveiro. O compositor frequentou cursos de formação com Clarence Barlow, Magnus Lindberg, Jonathan Harvey, Bruce Pennycook, Tim Steiner, Sam Mason, Paul Griffiths, Klaus Trumpf, Fernando Flores e Olga Prats; foi ainda colaborador do Serviço Educativo da Casa da Música e membro do projecto Digitópia. David Miguel desenvolve trabalho de investigação sobre o questionamento no ensino de música. Do seu repertório destacam-se obras para coro, música de câmara, para orquestra, colaborações em teatro, instalações e arranjos.
Em Maio visitem a secção Em Foco do MIC.PT, em que estreamos uma nova Entrevista do MIC.PT a David Miguel. Esta é uma oportunidade única para conhecer melhor o trabalho deste compositor editado pelo MIC.PT – as suas raízes musicais, influências, escolhas estéticas e ideias sobre / para a música portuguesa da actualidade.
actividades dos compositores editados pelo MIC​.​PT

Peaceful Meeting​ (2016) para violoncelo e contrabaixo é a peça de Clotilde Rosa (1930-2017) que no próximo dia 3 de Maio será apresentada pelo CoPeCo Collective no âmbito do Festival World New Music Days 2019 da ISCM, este ano organizado na Estónia com o tema Through the Forest of Songs. Este mês, no dia 15 no O'culto da Ajuda em Lisboa, irá decorrer também um espectáculo especial dedicado à música desta compo-sitora editada pelo MIC.PT. Clotilde é uma Rosa é um concerto no ciclo da Escola de Música do Conservatório Nacional, organizado por Jorge Sá Machado e os alunos das classes de Anne Kaasa, João Pereira Coutinho, Ana Castanhito, Rui Martins, Salvador Parola e Ricardo Mateus, para marcar a efeméride da compositora que a 11 de Maio teria celebrado o 89.º aniversário. "Tenho esta costela que vive comigo – sou romântica e lírica. Várias pessoas dizem-me que, quando ouvem a minha música, percebem logo que é «a minha». Nunca atraiçoei a linguagem contempo-rânea, mas reinventei-a da minha própria maneira" – disse Clotilde Rosa ao MIC.PT em Outubro de 2017.

Remembering the Future​ (2019) para contratenor, soprano, clarinete, viola e contrabaixo e com texto de Tane Stevens, é uma nova obra de Daniel Davis, que será estreada a 23 de Maio na Wigmore Hall em Londres, durante o concerto no contexto do projecto Voiceworks e organizado pela Guildhall School of Music & Drama, onde este compositor editado pelo MIC.PT está a realizar o Doutoramento em Composição. A obra será interpretada por: Nils Wanderer (contratenor), Sophie Sparrow (soprano), Edward Holmes (clarinete), Michiel Wittink (viola) e João Lucas (contrabaixo). Voiceworks é um projecto colaborativo anual onde novas obras com voz são criadas através de oficinas e intercâmbios entre jovens compositores, poetas, escritores, cantores e intérpretes, para serem estreadas na celebrada Wigmore Hall. "Durante o processo de esboçar a obra surgiu uma ideia de combinar este projecto colaborativo com artes visuais" – revela Daniel Davis. Assim foi encomendada a Jérémie Queyras a criação da imagem da capa da partitura, para ilustrar as ideias implícitas na música e no texto.

Na primeira metade de Maio João Castro Pinto – compositor editado pelo MIC.PT – está a continuar a sua digressão na Europa de Leste. Neste sentido, o quarto concerto da tournée decorrerá no âmbito da série de performances Helikoosolek, e terá lugar a 1 de Maio em Tartu, na Estónia, ocasião em que João Castro Pinto apresentará também uma palestra sumária sobre o seu trabalho como compositor. O concerto que finaliza a digressão está integrado no World Music Days 2019. Obsidia – dos sons invisíveis ou das imagens audíveis (2017) é o título da obra acusmática que será espacializada pelo compositor em concerto nos Estonian Public Broadcasting Studios em Tallinn a 5 de Maio. "Entre as variadas conotações do termo obsidiar, encontramos a ideia de perseguição obsessiva, de foco insistente. Esta ideia de insistência é musicalmente empregue no sentido da exploração de aspectos sonoros que, ao longo da peça, se escutam..." – revela João Castro Pinto na nota de programa.

Durante o mês de Maio serão várias as apre-sentações das peças de Hugo Vasco Reis – a estreia absoluta de Some Lines Mixing a Color (encomenda do Síntese – Grupo de Música Contem-porânea) no dia 3 de Maio no Teatro Municipal da Guarda, com repetição a 4 e 5 de Maio no Conservatório de Música de Viseu e Centro de Cultura Contemporânea de Castelo Branco; Micro Images for Guitar (2017) será interpretada nos Açores (3 de Maio) e Fafe (14 de Maio), pelo guitarrista Luís Miguel Leite; Metamorphosis and Resonances for Harp Solo será interpretada por Liis Viira, em Tallinn (Estónia), no dia 4 de Maio no ISCM – World Music Days 2019; e Metamorphosis and Resonances for Accordion Solo (2017) será interpretada por Paulo Jorge Ferreira
no âmbito do Festival Música Viva 2019, a 26 de Maio no
O´culto da Ajuda em Lisboa. A mesma obra deste com-positor editado pelo MIC.PT foi também seleccionada no Festival Risuonanze em Udine na Itália e será interpretada por Ghenadie Rotari (início de Junho).

João Pedro Oliveira é membro do júri nos dois concursos internacionais dedicados à criação musical electroacústica – Iannis Xenakis International Electronic Music Competition (Grécia) e MA/IN – MAtera INtermedia (Itália). Em Maio a música deste compositor editado pelo MIC.PT será apresentada no contexto de vários eventos: no dia 16, a peça electroacústica Hydatos (2008) está integrada no evento Radio Open · Spaced Out Radio em Pádua (Itália); no dia 25 a peça Maelström (2006) para cimbalão e electrónica, será interpretada no contexto da série de concertos Mühlenbecker Klanglandschaften (Berlim, Alemanha); a vídeomúsica Storms (2018) foi seleccionada para o Psychedelic Film and Music Festival em Nova Iorque que começa no dia 17; e a vídeomúsica Tesseract (2017) foi escolhida para o Festival VIS Vienna Shorts 2019 na Áustria (28 de Maio – 2 de Junho), tendo sido nomeada para os ASIFA Austria Award e European Film Awards na secção de Animation Avant Garde. A mesma peça faz também parte do programa do Visible Bits, Audible Bytes Festival em Leicester no Reino Unido (31 de Maio).

Lume de Chão​ (2003-04), é o ciclo para piano solo de Amílcar Vasques-Dias – compositor editado pelo MIC.PT –, que está incluído no novo CD da pianista Joana Gama, pela Grand Piano Record (Grupo Naxos). Fruto de um trabalho de investigação desenvolvido no contexto do Doutoramento da pianista, este disco intitulado Travels in my Homeland inclui ainda o ciclo homónimo para piano solo de Fernando Lopes-GraçaViagens na Minha Terra (1953-54). Como complemento ao CD, serão lançadas as primeiras edições das duas partituras dos referidos ciclos, criadas em colaboração com o MPMP – Movimento Patrimonial pela Música Portuguesa. Os lançamentos ocorrerão entre os dias 10-13 de Maio em Braga, Lisboa, Monte Estoril e Évora e contarão com a participação de Teresa Cascudo, Amílcar Vasques-Dias e de Joana Gama no piano. Em Maio haverá ainda dois concertos de Joana Gama com a música de Amílcar Vasques-Dias, Fernando Lopes-Graça, João Godinho, Marco Franco e Vítor Rua: no Pianola Museum, Amsterdão (dia 24) e no Q.art-Festival – Ruïnekerk em Bergen nos Países Baixos (dia 25).

Fluxus, Transitional Flow​ (2013) para viola e elec-trónica é a peça de Jaime Reis que faz parte do pro-grama dos recitais da violetista do Ensemble Modern Aïda-Carmen Soanea, que terão lugar a 10 e 11 de Maio na Escola Superior de Música de Lisboa e no Museu da Música Mecânica em Pinhal Novo. O repertório destes espectáculos inclui ainda outras três peças dos compo-sitores editados pelo MIC.PT: Christopher Bochmann, João Madureira e João Pedro Oliveira. "A minha obra pertence ao ciclo Fluxus, cujas peças são inspiradas em elementos da física e nas quais são desenvolvidos elementos musi-cais relacionados com determinados fenómenos da mecâ-nica dos fluidos" – diz Jaime Reis. Também este mês, a obra A Omnisciência é um Colectivo – Parte IV deste com-positor editado pelo MIC.PT será apresentada no concerto Em Louvor da Água, no dia 17 no Reservatório da Mãe d'Água das Amoreiras em Lisboa; e ainda no dia 30, no contexto do Festival Música Viva 2019 no O'culto da Ajuda, Clara Saleiro (flauta) e Ángel Faraldo (electrónica) interpre-tarão a peça Fluxus, Dimensionless Sound (B) (2016).

Bucolicae (2019), para piano a quatro mãos, violino e violoncelo, é uma nova obra de Paulo Bastos que será estreada no dia 12 de Maio em Dijon (França), no contexto do Festival Le Printemps de l’Europe, pelos intérpretes: Yseult Jost e Domingos Costa (piano), Anne Mercier (violino) e Sébastien Paul (violon-celo). Esta obra, encomenda do Festival Le Printemps de l’Europe, "é um ciclo de seis peças nostálgicas em que a narrativa é feita sobre memórias musicais que trago no ouvir desde criança, sons do meu imaginário mesclados entre uma bucólica aldeia da Serra do Alvão e temas musicais da província de Trás-os-Montes" – revela Paulo Bastos na nota programa. Em Maio a música deste compositor editado pelo MIC.PT será apresentada ainda pelo Kla-Vier Duo, no dia 7 no âmbito do XIII Síntese – Ciclo de Música Contemporânea da Guarda (peça Adsum [2004] para piano a quatro mãos); e no dia 24, pelo Duo Jost Costa, no contexto do Kulturraum Die Flora em Gelsen-kirchen na Alemanha (peça Sou já do que fui [2019] para piano a quatro mãos).

Construções na areia (2018) para piano a quatro mãos é uma nova obra de Helder Gonçalves – compositor editado pelo MIC.PT –, que foi estreada na segunda metade do passado mês de Abril no Conservatório de Música de Aveiro de Calouste Gulbenkian, no contexto do Concerto de Lança-mento pela AvA Musical Editions de novos volumes com repertório português para pianistas – Piano a 4 mãos e Peças para a mão esquerda (coordenação / selecção de Bruno Belthoise e João Pedro M. Santos). Este espec-táculo, com a participação de 40 jovens pianistas franceses e portugueses, repetir-se-á a 17 de Maio na Fundação Calouste Gulbenkian de Paris. "A peça Construções na areia foi composta já depois das férias de Verão. A ida à praia é sempre algo especial para alguém do interior. As brincadeiras com as crianças, as travessuras no mar e especialmente na areia influenciaram as sonori-dades obtidas" – diz Helder Gonçalves.

Storyboard (2003) é o títu-lo da obra para piano a quatro mãos de Fernando C. Lapa, que está incluída no programa do concerto pelo Kla-Vier Duo, a decorrer no Teatro Municipal da Guarda a 7 de Maio, no contexto do XIII Síntese – Ciclo de Música Contemporânea. Em Maio a mesma peça deste compositor editado pelo MIC.PT será apresentada também no dia 17 na Fundação Gulbenkian em Paris, por ocasião do Concerto de Lançamento pela AvA Musical Editions de novos volumes com repertório português para pianistas – Piano a 4 mãos e Peças para a mão esquerda (coordenação de Bruno Belthoise e João Pedro M. Santos). E no fim do mês – dia 31 no Teatro Carlos Alberto no Porto, no âmbito do projecto Coisas que não há que há pelo Teatro do Frio, em que participam vários compositores portugueses – o Coro Lira sob a direcção de Raquel Couto apresentará a obra de Fernando C. Lapa: Canção dos adultos (sobre o poema de Manuel António Pina), para vozes, violino e piano.

Várias obras de Ricardo Matosinhos – compositor editado pelo MIC.PT – estão indicadas como peças obrigatórias no 1.º Concurso da APTE – Associação Portuguesa de Tuba e Eufónio; são elas: Quatro peças op. 76b e Low Horn Suite No. 1 na Categoria Infantil; Low Horn Suite No. 2 na Categoria Juvenil; Siegfried & Fafnir na Categoria Júnior. O Concurso, exclusivo a sócios da Associação, irá decorrer durante os meses de Maio e Junho e será realizado on-line por gravação vídeo através da plataforma YouTube, em sessão privada. O objectivo do Concurso é sobretudo o desenvolvimento da técnica de interpretação nos instrumentos aos quais a APTE se dedica – tuba e eufónio. Os organizadores pretendem também proporcionar aos sócios da Associação novas oportunidades para a apresentação do seu trabalho.
composição e espacialização

Estão abertas, até ao dia 30 de Junho, as inscrições para o Curso Intensivo de Compo-sição e Espacialização Electroacústica, que decorrerá entre os dias 22 a 26 de Julho no O'culto da Ajuda em Lisboa e que será condu-zido pelos três compositores editados pelo MIC.PT: António Ferreira, António de Sousa Dias e Miguel Azguime. O Curso é uma proposta que beneficia de uma vasta experiência, de pluralismo estético e dos recursos disponíveis no O’culto da Ajuda, onde está instalada uma Orquestra de Altifalantes de 40 elementos. Este instru-mento de difusão sonora proporciona aos alunos do Curso condições de excelência para a prática da com-posição a abordar. O Curso terá um número máximo de 12 participantes; no final haverá um concerto com os trabalhos desenvolvidos pelos alunos.
Festival Música Viva 2019 · Uma Luz ao Fundo do Túnel

Uma Luz ao Fundo do Túnel é o título da 25.ª edição do Festival Música Viva, que vai decorrer entre os dias 24 de Maio e 1 de Junho no O'culto da Ajuda em Lisboa. Como sublinham os organizadores do evento da Associação Cultural Miso Music Portugal: "O MV 2019 são oito dias de intensa actividade, entre cursos e concertos duplos (16 Encontros no total); para afirmar a criação musical do nosso tempo, um tempo no qual a Arte teima em ser livre e em resistir contra as lógicas hegemónicas da quantificação, superlativando a qualificação da inteligência e do sensível do humano". Como nas edições passadas o MV 2019 distingue-se pela a presença no seu programa da música de vários compositores portugueses da actualidade, muitos deles editados pelo MIC.PT: António Chagas Rosa (Cicuta), António Ferreira (estreia da peça Amok), Carlos Caires (estreia de uma nova peça), Cândido Lima (estreia da peça Ode ao Tejo – regresso de um piano de guerra), Christopher Bochmann (estreia da peça From Head to Toe, entre outras), Eduardo Luís Patriarca (estreia da peça Broken – José Luís Ferreira In memoriam), Hugo Vasco Reis, Jaime Reis, João Madureira, Miguel Azguime (estreia da peça D’un horizon tendu, entre outras) e Pedro M. Rocha (estreia da peça 2 Vislumbres da Ascensão). No programa do MV 2019 destacam-se também dois Encontros (II e IV) dedicados à obra de Álvaro Salazar e o Encontro XIV intitulado Infinito Azul, em que a pianista Ana Telles estreará várias peças compostas em memória do compositor editado pelo MIC.PT José Luís Ferreira (1973-2018). Tal como nos anos passados o Música Viva conta também com a participação de vários intérpretes conceituados: Clara Saleiro (flauta), Duo Tágide, Kwartludium, Paulo Jorge Ferreira (acordeão) & Stretto Duo, Pedro Neves (direcção musical) e o Sond'Ar-te Electric Ensemble, entre outros.
XIII SÍNTESE – CICLO DE MÚSICA CONTEMPORÂNEA DA GUARDA

Inaugurado no passado mês de Abril, o XIII Síntese – Ciclo de Música Contemporânea da Guarda continua em Maio e Junho com espectáculos e outros eventos dedicados à nova criação musical, tendo no foco a música de compositores portugueses da actualidade. Neste sentido, nos dias 3, 4 e 5 de Maio (Guarda, Viseu e Castelo Branco) o Síntese – Grupo de Música Contemporânea estreará quatro novas obras, três da autoria dos compositores editados pelo MIC.PT: Ângela Lopes (Dargua – de Poemas Helénicos), Hugo Vasco Reis (Some Lines Mixing a Color) e Pedro Rebelo (Ambos); e ainda uma peça de Edward Luiz Ayres d'Abreu (Duas Mulheres). Depois o XIII Ciclo Síntese voltará à Guarda, onde o Kla-Vier Duo (Patrícia Ventura e Sónia Amaral) apresentarão um programa de obras para piano a quatro mãos, que inclui a música dos três compositores e compositoras editadas pelo MIC.PT: Sofia Sousa Rocha (Por um dia igual), Paulo Bastos (Adsum) e Fernando C. Lapa (Storyboard). No âmbito do Ciclo Síntese apresentar-se-ão em Portugal vários músicos estrangeiros, entre os quais o MIDI Ensemble (Itália) e Dimitri Bokolishvili. Nos dias 10 e 11 (Castelo Branco e Guarda), este o clarinetista georgiano dará um recital, cujo programa inclui a peça Paradox I de Eduardo Luís Patriarca (compositor editado pelo MIC.PT). Ainda este mês, no dia 19 no Teatro Municipal da Guarda, decorrerá o III Concurso Nacional de Interpretação Contemporânea para alunos do ensino artístico especializado e profissional. O XIII Ciclo Síntese terá o final no início de Junho (dias 1 e 2) na sede do Síntese – GMC em Aldeia do Bispo, onde no âmbito do espectáculo intitulado Vanguarda na Aldeia decorrerá a estreia absoluta de uma nova obra de Sara Carvalho (compositora editada pelo MIC.PT), com a participação da população de Aldeia do Bispo.
 
MÚSICA HOJE NA ANTENA 2
3 / 05, à 1h00 da madrugada
Festival Música Viva 2019

Em Maio destacamos nos dois primeiros programas do mês a realização do próximo Festival Música Viva, que terá lugar de 24 de Maio e 1 de Junho de 2019 no O'culto da Ajuda, em Lisboa. Uma vez mais o Festival pretende "afirmar a criação musical do nosso tempo, no qual a Arte teima em ser livre e em resistir contra as lógicas hegemónicas da quantificação, superlativando a qualificação da inteligência e do sensível do humano", como se pode ler na apresentação deste Festival organizado pela Miso Music Portugal. Nesta primeira emissão abordaremos o detalhe da programação do Festival numa conversa entre Pedro Boléo e Miguel Azguime (compositor e director artístico do festival) mas que conta também com a participação de vários intérpretes intervenientes nesta 25.ª edição do Festival Música Viva.
17 / 05, à 1h00 da madrugada
Festival Música Viva 2019

No segundo programa de Maio continuamos a anunciar a programação da 25.ª edição do Festival Música Viva numa conversa entre Pedro Boléo e Miguel Azguime (compositor e director artístico do Festival). Tal como na anterior emissão, o programa conta também com a participação de intérpretes intervenientes no Festival, um Festival dedicado à criação contemporânea, com oito dias de intensa actividade, entre cursos e concertos duplos. Uma iniciativa que pretende dar voz à criação musical do nosso tempo, com obras instrumentais para formações diversas, obras mistas e obras electroacústicas, com especial destaque para os compositores e intérpretes portugueses, incluindo numerosas estreias.
31 / 05, à 1h00 da madrugada
Na 1.ª Pessoa: Igor C. Silva

O Música Hoje prossegue o ciclo Na 1.ª Pessoa, com entrevistas realizadas por Pedro Boléo a compositores portugueses da actualidade, descobrindo vários aspectos do seu universo criativo, com tempo para escuta da música dos próprios criadores. Neste programa entrevistamos o compositor Igor C. Silva, abordando a sua visão da música e os caminhos actuais da sua criação. Igor C. Silva nasceu no Porto em 1989 e tem já um percurso assinalável enquanto compositor, em Portugal e em Amsterdão, onde vive actualmente. Tem uma intensa actividade, escrevendo música para ensembles, solistas e orquestras e tendo sido premiado em diversas ocasiões pelas suas obras. Tem um especial interesse pela improvisação e pela composição para ensembles em que cruza a música electrónica e instrumentos acústicos em performances interactivas.
Novas Partituras no MIC​.​PT
A edição de partituras pelo MIC.PT tem como alvo a distribuição de par-tituras de obras de compositores portugueses, fomentando a sua es-colha por parte de músicos e o seu estudo no meio académico.

Amílcar Vasques-Dias (AVDias0015)
A-MARIS (2017) · piano e banda sonora (ou piano solo)
Hugo Vasco Reis (HVReis0009)
O horizonte de uma borboleta (2014) · flauta, violino, piano
Miguel Azguime (MA0024)
Yuan Zhi Yuan (1998) · soprano, tenor, seis instrumentos tradicionais chineses, coro de câmara e electrónica
novos CD no MIC​.​PT
esgrima

Nuno Aroso · percussão; Vítor Rua · guitarra eléctrica · Henrique Portovedo · saxofone; Joana Sá · piano; Luís Antunes Pena · elec-trónica; Rita Redshoes · voz; Hugo Carvalhais · contrabaixo; Pedro Mexia · poema (esgrima); Ivo Canelas · actor; Pedro Junqueria Maia · imagem da capa; Suse Riberio · gravação e mastering: Suse Ribeiro e Nelson Carvalho · mistura; Estúdios Valentim de Carvalho
Edição: Nuno Aroso / bandcamp
estreias recentes
Solange Azevedo
(under)lines
5 / 04, Das Planetarium, Graz, Áustria
Noviga Projekto
Clara Saleiro · flauta; Manuel Alcaraz Clemente · percussão
Quinteto da Raposa
6 / 04, Festival CriaSons, Convento dos Capuchos, Caparica
Katharine Rawdon · flauta; Bethany Akers · oboé; Paulo Gaspar · clarinete; Jorge Trindade · clarinete e clarinete baixo; Franz-Juergen Dorsam · fagote; Gabriele Amarau · trompa; Alexei Eremin · piano
Tiago Derriça
Tríptico
6 / 04, Festival CriaSons, Convento dos Capuchos, Caparica
Katharine Rawdon · flauta; Bethany Akers · oboé; Paulo Gaspar · clarinete; Franz-Juergen Dorsam · fagote; Gabriele Amarau · trompa
Níl
12 / 04, Rádio Estatal Eslovaca, Bratislava
Camerata Nov'Arte; Luís Carvalho · direcção musical
À procura da raposa
12 / 04, Rádio Estatal Eslovaca, Bratislava
Camerata Nov'Arte; Luís Carvalho · direcção musical
Sur l’Amour (trois poèmes sur l’amour)
17 / 04, FIMPV, Museu Nacional Grão Vasco, Viseu
Otniribal
17 / 04, FIMPV, Museu Nacional Grão Vasco, Viseu
Telmo Marques
Salmo
17 / 04, Igreja Matriz de São Miguel de Apúlia
Portuguese Brass · metais e percussão; Coro de Pequenos Cantores de Esposende; Coro Ars Vocalis; Dora Rodrigues · soprano; Diogo Zão · piano; Nuno Jacinto · comentários; Helena Venda Lima · direcção coral; Fernando Marinho · maestro
Things I Have Seen in My Dreams
20 / 04, Monaco Electroacoustique 2019
vídeo-música
Mariana Vieira
Música para uma fábrica
20 / 04, Fábrica Braço de Prata, Lisboa
João Pedro Silva · saxofone
Singularity
24 / 04, FIMPV, Teatro Viriato, Viseu
Duo Sigma; Ana Cláudia Assis · piano; Miguel Rocha · violoncelo
João Quinteiro
dois rios
24 / 04, FIMPV, Teatro Viriato, Viseu
Duo Sigma; Ana Cláudia Assis · piano; Miguel Rocha · violoncelo
Sulam Yaakov
24 / 04, FIMPV, Teatro Viriato, Viseu
Duo Sigma; Ana Cláudia Assis · piano; Miguel Rocha · violoncelo
Música para Rei Lear – A Partir da Tragédia de William Shakespeare
27 / 04, Dias da Música em Belém, CCB, Lisboa
Alexandre Delgado e Sara Barros Leitão · adaptação para cena; Sara Barros Leitão · encenação; Toy Ensemble
Sem pedras não há arco
27 / 04, Relva, Ponta Delgada
Sinfonietta de Ponta Delgada; Amâncio Cabral · maestro
Tiago Derriça
The Seven Ages of Man
27 / 04, Dias da Música em Belém, CCB, Lisboa
Quarteto Camões; Celia Williams · recitante
Construções na areia
28 / 04, Conservatório Calouste Gulbenkian, Aveiro
Clémence Duprez e Elise Nadjar · piano a quatro mãos
Metamorphosis and Resonances for Cello Solo
30 / 04, O'culto da Ajuda, Lisboa
Filipe Quaremsa · violoncelo
Novidades MIC​.​PT
Compositores Portugueses no World Music Days 2019 na Estónia

Through the Forest of Songs (Através da floresta de canções) é o título do Festival World Music Days 2019 da ISCM – Sociedade Internacional de Música Contemporânea, co-organizado pela União de Compositores da Estónia, que vai decorrer entre os dias 2 e 10 de Maio em Tallinn e Tartu neste País Báltico. Como nas edições anteriores do Festival, um dos objectivos do World Music Days 2019 é apresentar um repertório que "reflecte a música contemporânea num espectro tão rico e extenso, quanto possível". Este ano a representação portuguesa no World Music Days é constituída por três obras dos compositores e das compositoras editadas pelo MIC.PT: Clotilde Rosa, Hugo Vasco Reis e João Castro Pinto. A peça da primeira compositora – Peaceful Meeting (2016) para violoncelo e contrabaixo – será apresentada pelo Colectivo CoPeCo no dia 3 na Academia de Música e Teatro da Estónia. Metamorphosis and Resonances for Harp Solo (2017) é o título da peça de Hugo Vasco Reis que está incluída no programa do concerto pelo Ensemble Una Corda, no dia 4 de Maio na Academia de Ciências em Tallin. E a 5 de Maio nos estúdios da Rádio-Televisão Pública da Estónia, durante o espectáculo pelo ensemble da Sociedade Estoniana de Música Electrónica, João Castro Pinto realizará a espacialização da sua obra acusmática Obsidia – dos sons invisíveis ou das imagens audíveis (2017). Todos os anos a Miso Music Portugal e o MIC.PT, enquanto Secção Portuguesa da ISCM, convidam vários compositores e compositoras portuguesas para incluirem as suas obras nas candidaturas oficias para o World Music Days, garantindo assim a presença de novas criações musicais portuguesas nos programas desta festa anual da música da actualidade.
Actualidade
Música Viva 2019 – Masterclasses de Composição Electroacústica com Gilles Gobeil e Trevor Wishart

Estão ainda abertas as inscrições para as Masterclasses de Composição Electroacústica que irão decorrer no âmbito do Festival Música Viva 2019 (24 de Maio – 1 de Junho, O'culto da Ajuda em Lisboa). A primeira Masterclass, nos dias 25 e 26 de Maio, será conduzida pelo compositor canadiano Gilles Gobeil; a segunda, com a tutoria do compositor inglês Trevor Wishart, terá lugar nos dias 27 e 28 de Maio. Para cada das Masterclasses será aceite o número máximo de 12 alunos. Esta é uma oportunidade única de explorar os segredos da Composição Musical Electroacústica com os titãs deste género ao nível mundial.
Françoise Barrière (1944-2019)

É com muito pesar que o MIC.PT e a Miso Music Portugal (nomeadamente na sua qualidade de Federação Portuguesa da CIME – Confederação Internacional de Música Electroacústica), anuncia o falecimento, no passado dia 24 de Abril, da compositora, escritora e editora francesa Françoise Barrière. Esta artista dedicada essencialmente à criação musical electroacústica é autora de numerosas obras importantes e de vários projectos de significância inquestionável para o desenvolvimrnto e disseminação deste género musical. Juntamente com Christian Clozier foi fundadora do IMEB – Instituto de Música Electroacústica de Bourges e do Festival, Concurso e Academia a ele associados.
Agenda Catálogo de Partituras MIC.PT Espaço Crítica para a Nova Música MIC.PT EN MISOMUSIC.COM MIC.PT Twitter IAMIC Facebook