actividades – compositores e Compositoras editadas pelo MIC​.​PT

A estreia da nova obra Circumnavigare (2019) de António Chagas Rosa, decorrerá a 5 de Outubro no Teatro Thalia em Lis-boa, no concerto intitulado A Viagem de Magalhães pela Orquestra Metropolitana de Lisboa, com Filipe Quaresma no violoncelo e sob a direcção de Pedro Amaral. Assim fala sobre a peça António Chagas Rosa, compositor editado pelo MIC.PT: "Obra composta no ano em que se celebram os 500 do início da célebre viagem de circum-navegação concebida e organizada por Fernão de Magalhães. A ideia de escrever para orquestra e um solista pareceu-me refletir o dramatismo de um personagem complexo, taciturno e audaz, em diálogo com todo um conjunto de elementos – humanos e naturais –, ora hostis ora favoráveis". Outra obra de António Chagas RosaCicuta (2005) para voz e piano, sobre a poesia de Maria Teresa Horta –, será apresentada a 22 de Outubro no O'culto da Ajuda em Lisboa (Recital Antena 2) pelo Duo Tágide (Inês Simões, soprano e Daniel Godinho, piano). O concerto incluirá ainda a estreia da peça de Fátima Fonte – coração acordeão (2019) sobre a poesia de Alexandre O'Neill (encomenda da MMP).

Em Outubro Cândido Lima é artista convidado para a 17.ª edição do Festival Skaņu Mežs em Riga na Letónia. Neste contexto, no dia 5 no Museu Rígas Birža e no âmbito do projecto Unearthing the Music, este compositor editado pelo MIC.PT e pianista irá apresentar um programa criado em colaboração com Ângela Lopes – compositora editada pelo MIC.PT, no espectáculo responsável pela projecção sonora; as peças que constam no programa são: OPTIC-MUSIC – quadros cinéticos (excerto), MOMENT – LANDSCAPE – sound walk (de Músicas de Villaiana – coros oceânicos), ETRAS – cantos de sonhi ma – A Viagem e Oceanos. "Gosto de inventar os meus títulos, mesmo que não representem aquilo que se vai ouvir. Faço questão de eu ter prazer em ver no título algum conteúdo da obra. Mesmo que ela não esteja pronta ainda, faço pesquisa sobre os títulos. Há o lado sonoro e há o lado poético; tenho hábito de criar uma espécie de síntese numa palavra só e depois como leitura fazer o descritivo. Na primeira palavra vem o mistério e depois o desvendamento" – diz Cândido Lima na Entrevista dada ao MIC.PT em Maio de 2019.

Este mês Diogo da Costa Ferreira irá participar enquanto conferencista no Colóquio de Psicanálise – Psicanálise Clínica e Aplicada, que decorrerá nos próximos dias 18 e 19 de Outubro no ISPA – Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida em Lisboa. Neste contexto, este compositor editado pelo MIC.PT irá falar da relação entre a composição musical e a psicanálise assim como apresentará a comunicação intitulada: Um Compositor winnicottiano: Para uma estética psicanalítica. O catálogo de obras de Diogo da Costa Ferreira inclui música orquestral, de câmara e para instrumentos solistas, assim como música para teatro. Além da composição musical, este artista multifacetado e investigador dedica-se também ao ensino, à investigação em filosofia de arte e à escrita literária, sendo Sócio Efectivo da Associação Portuguesa de Escritores.

SheBeingBrand (2010-14) é a obra electroacústica de Miguel Azguime – compositor editado pelo MIC.PT – que será apresentada a 12 de Outubro no contexto do espectáculo da Conferência Acousmonium, organizada pela CIME / ICEM – Confedera-ção Internacional de Música Electroacústica na Academia de Música em Cracóvia na Polónia (10-13 de Outubro). A Federação Portuguesa da CIME / ICEM – a Miso Music Portugal – neste concerto será também representada pela obra de Filipe Esteves, Estuário (2019). Adicionalmente, o repertório do concerto incluirá ainda obras propostas por várias outras Federações da CIME / ICEM do mundo inteiro – Rússia, Polónia, Estados Unidos, Bélgica e Colômbia. No contexto da Conferência Acousmonium Miguel Azguime realizará também uma apresentação intitulada – The Loudspeaker Orchestra paradigm: a place for interpretation of electroacoustic music? (dia 12).

Em Outubro a antestreia da nova obra acusmática N'vi'ah (2019) de João Pedro Oliveira decorrerá no dia 11, no âmbito do Ciclo de Música Electroacústica da Universidade Austral de Chile, no qual este compositor editado pelo MIC.PT é artista convidado. Neste contexto serão ainda apresen-tadas três outras peças suas: Storms (2018), Singularity (2019) e Tesseract (2017). Neste ciclo João Pedro Oliveira irá realizar também uma masterclass de composição. A estreia mundial da obra N'vi'ah terá lugar no dia 18, no Festival Ai-Maako em Santiago de Chile. Outras peças de João Pedro Oliveira que serão apresentadas este mês são: Things I have seen in My Dreams (2019) no dia 4, no 2019 STUDIO 300 Digital Art and Music Festival (Transylvania University, EUA); Íris (2000) no dia 6, no Forum Musica Nueva (Cidade do México); Timshel (2007) no dia 19, no Festival CEMIcircles (Texas, EUA); e Tesseract (2017) no 4.º Congresso Internacional de Ciência e Tecnologia Musical em Buenos Aires (Argentina).

Este mês Carlos Alberto Augusto – compositor editado pelo MIC.PT – é orador convidado no II Encontro Paisagem Sonora Histórica – Évora 2019, que decorrerá entre os dias 16 e 18 de Outubro na Universidade de Évora. Neste contexto no último dia do encontro, este compositor, músico e sound designer cuja actividade se centra na música para teatro, no teatro-música e ainda nas áreas de multimédia, vídeo e comunicação interactiva, dará uma conferência dedicada ao tema – Uma viagem pelo silêncio. Os organizadores deste encontro partem do princípio que a noção de paisagem sonora que tem vindo a ganhar cada vez mais expressão nos círculos musicológicos inter-nacionais permite entender a música realizada numa determinada área a partir de uma perspectiva contextual abrangente, contrariamente à leitura centrada num compositor ou grupo restrito de compositores. Isso permite entendender a música como uma actividade social, política e económica e não meramente artística.

A nova obra de Jaime Reis, Fluxus, Vortex – Schubkraft (2019) para quarteto de guitarras e electrónica, será estreada no final de Outubro durante quatro espectáculos da digressão do Quarteto de Guitarras Aleph em Portugal – no Lisboa Incomum (dia 28), na Antiga Discoteca, Idanha-a-Nova (dia 29), na Casa Municipal da Cultura em Seia (dia 30) e na Casa da Música (dia 1 de Novembro). O programa destes concertos incluirá também as peças de: Jörg Mainka, Peter Jakober, Núria Giménez Comas, Georg Friedrich Haas e Nicolaus A. Huber. A nova obra de Jaime Reis foi escrita durante a residência deste compositor editado pelo MIC.PT no ZKM – Centro para Arte e Média (Karlsruhe, Alemanha) em 2018 e é uma encomenda do ZKM e do Quarteto Aleph. Adicionalmente, outras duas peças de Jaime Reis serão apresentadas em concerto em Outubro: os Andamentos I e II de Sangue Inverso – Inverso Sangue, no concerto do Ensemble Fractales no Centro Cultural Raiano, Idanha-a-Nova (dia 10); e Sândalo. Prata. por René Mora (guitarra) e Vicente Cintero (flauta) na Casa Valencia de Madrid em Espanha (dia 18).

No dia 10 de Outubro irá decorrer a estreia da 104.ª produção do Teatro das Beiras, A Bela Verdade de Carlo Goldoni, com a música original de Helder Filipe Gonçalves – compositor editado pelo MIC.PT. Com tradução e encenação de Gil Salgueiro Nave, cenografia e figurinos de Luís Mouro, desenho de luz de Fernando Sena e interpretação de Fernando Landeira, Hâmbar de Sousa, Inês Barros, Roberto Jácome, Sílvia Morais, Susana Gouveia e Tiago Moreira, esta peça estará em cena até ao dia 19 de Outubro no Auditório do Teatro das Beiras em Covilhã. Adicionalmente, Helder Gonçalves é autor da banda sonora para o filme experimental de Vasco Diogo, Mixed Movie, vencedor na categoria Best Experimental Movie no Festigious – International Film Festival. Como revelam os seus criadores: "Este filme tem influência de uma estética surreal, onde a criatividade, aleatoriedade e imaginação desempenham um papel importante". As imagens do filme foram criadas com o uso de telemóvel e várias aplicações, para as quais, depois da montagem e edição, Helder Gonçalves escreveu a banda sonora.

Zone#1​ (2019) para percussão, electrónica e vídeo é uma nova instalação de Igor C. Silva, cuja estreia absoluta com a participação do percussionista João Dias, irá decorrer no próximo dia 15 de Outubro na ESMAE – Escola Superior de Música e Artes do Espectáculo no Porto. Outra obra deste compositor editado pelo MIC.PT – Smart-alienation (2016) para pequeno ensemble flexível, electrónica e vídeo – este mês será apresentada no contexto dos dois espectáculos: no próximo dia 14 pelo Tactus Ensemble em Nova Iorque (EUA); e no dia 25 pelos grupos lovemusic e HANATSUmiroir em Estrasburgo (França). "A liberdade surge como a ferramenta mais importante para que o compositor consiga olhar para a sua música a partir de dentro e não necessariamente a partir de cânones que a prática musical corrente impõe" – diz Igor C. Silva na Entrevista dada ao MIC.PT em Agosto de 2015.

Das Margens da Luz é o título do concerto pelos Solistas da Metropolitana e também da obra para clarinete e piano (2009) de Fernando C. Lapa – compositor editado pelo MIC.PT –, que será apresentada no contexto deste evento, no dia 27 de Outubro no Fórum Municipal Luísa Todi em Setúbal (V Jornadas de Música de Câmara de Setúbal). O programa deste espectáculo na interpretação de Janete Santos (flauta), Jorge Camacho (clarinete) e Anna Tomasik (piano), incluirá também outra obra de Fernando C. Lapa, Estudos Sobre a Luz: II Incerta Claridade (2008) para piano solo, e ainda a música de: Cláudio Carneyro, Fernando Lopes-Graça e Sérgio Azevedo. Este mês na Sé Catedral do Porto, num concerto que recorda D. António Ferreira Gomes, bispo do Porto, decorrerá ainda a estreia de uma nova peça de Fernando C. Lapa para barítono, coro e orquestra, sobre poema de Sophia de Mello Breyner Andresen.

O compositor editado pelo MIC.PT, Daniel Davis, é um dos participantes do Programa para Jovens Compositores: LPO – London Philharmonic Orchestra 2019/20 Young Composers Programme. Esta iniciativa, apoiada pela Fundação Ernst von Siemens e o Instituto Adam Mickiewicz no âmbito do programa Polska Music, dá aos compositores e às compositoras emergentes uma oportunidade de trabalhar, durante um ano, numa peça nova com os músicos da LPO. A estreia destas novas composições pela LPO e Foyle Future Firsts, decorrerá a 6 de Julho de 2020 no âmbito do concerto Debut Sounds, na Queen Elizabeth Hall (Southbank Centre) em Londres. Os cinco participantes no programa serão orientados pelo compositor britânico James MacMillan, no âmbito de uma série de seminários e workshops.

A obra de Paulo Bastos, Cinco canções de Miguel Torga (2016) para voz e orquestra de guitarras, está incluída no programa de concerto pela Camerata de Violões do Guri Santa Marcelina, com a participação de Aline Souza (voz) e sob a direcção de Thales Vieira Maestre. O evento decorrerá a 20 de Outubro no Clube Hebraica em São Paulo. "A literatura, de uma forma geral, é a fonte extra-musical que influencia de forma mais significante o meu trabalho. Essa influência destaca-se na música mais recente" – diz Paulo Bastos na Entrevista do MIC.PT deste ano. O repertório habitual da Camerata de Violões inclui ainda a sua peça Vinte e quatro e a música dos dois outros compositores editados pelo MIC.PT: António Pinho Vargas (Vilas Morenas) e José Mesquita Lopes (Ecos da Eternidade).
 
MÚSICA HOJE NA ANTENA 2
4 / 10, à 1h00 da madrugada
Na 1.ª Pessoa: José Mesquita Lopes

Música Hoje prossegue as entrevistas a compositores e compositoras portuguesas da actualidade, revelando vários aspectos do seu universo criativo, com tempo para escuta de música dos próprios criadores. Nesta série de programas Na 1.ª Pessoa, transmitimos uma entrevista realizada por Pedro Boléo ao compositor José Mesquita Lopes. Nascido em 1960, José Mesquita Lopes é compositor e guitarrista. Compôs música de câmara, obras para solistas e para orquestra mas também música electroacústica. É professor e investigador, tendo escrito uma tese sobre a música contemporânea portuguesa para guitarra.
18 / 10, à 1h00 da madrugada
Na 1.ª Pessoa: Daniel Martinho

Música Hoje apresenta mais um programa do ciclo Na 1.ª Pessoa, com uma entrevista a Daniel Martinho, compositor nascido em 1985. Após ter frequentado a Academia de Música de Espinho, ingressou em 2006 na ESMAE no Porto (Escola Superior de Música, Artes e Espectáculo), onde concluiu o curso de Composição. Foi nomeado Jovem Compositor Residente da Casa da Música em 2010. Compôs música de câmara e para instrumentos solistas, música para coro e orquestra e música electroacústica. Escreve também música para teatro, bem como arranjos e orquestrações para diferentes formações instrumentais. Daniel Martinho tem ainda actividade como professor de análise, composição e guitarra.
Novas Partituras no MIC​.​PT
A edição de partituras pelo MIC.PT tem como alvo a distribuição de par-tituras de obras de compositores portugueses, fomentando a sua es-colha por parte de músicos e o seu estudo no meio académico.

Amílcar Vasques-Dias (AVDias0016)
FATA MORGANA (2016) · flauta e piano
Diogo Alvim (DAlv0002)
Ocupação_2 (2008) · coro misto a cappella
João Quinteiro (JQui0002)
Eros (2017) · nove intérpretes, de uns para os outros
novos CD no MIC​.​PT
Travels in My Homeland
Portuguese Piano Music

Joana Gama · piano
Obras de: Amílcar Vasques-Dias · Lume de Chão: Tecido de Memórias e Afectos (2004); Fernando Lopes-Graça · Viagens na Minha Terra (1954)

Edição: Grand Piano Records
estreias recentes
Folias e polifonias
8 / 09, Casa da Música, Porto
Coral São Francisco; Coro da Casa do Pessoal da RTP Os Afónicos; Coro Sol Maior; Grupo Coral dos Professores do Porto; Grupo Coral Kyrios; Orfeão de Rio Tinto; Orfeão Portuscale BPI
Orquestra Portuguesa de Guitarras e Bandolins
Hélder Magalhães · direcção musical
Variações sobre o Carnaval de Veneza
8 / 09, Casa da Música, Porto
Orquestra Portuguesa de Guitarras e Bandolins
Horácio Ferreira · clarinete
Hélder Magalhães · direcção musical
Home Is Where Your Heart Is
8 / 09, Galerias do Museu, Fundação Serralves, Porto
Drumming – Grupo de Percussão
Miquel Bernat, Pedro Oliveira e Rui Rodrigues
Vânia Rovisco · performance
State of(f) Emergencies
17 / 09, Casa da Música, Porto
Remix Ensemble Casa da Música
Sian Edwards · direcção musical
Colors Seen in Silence I
21 / 09, Auditório Municipal de Castelo de Paiva
Victor Pereira · clarinete
Vítor Pinho · piano
Klimt 2
21 / 09, Conservatório de Música de Paredes
Frederic Cardoso · clarinete baixo
Chasm
28 / 09, O'culto da Ajuda, Lisboa
João Castro Pinto · projecção sonora
Kontrol
28 / 09, 15.º Festival Visiones Sonoras, Morelia, México
Iván Manzanilla · intérprete
Home Sweet Sound
28 / 09, Festival Circular 2019, Vila do Conde
Joana Gama · piano
Vítor Rua · electrónica
Cão
29 / 09, Casa da Música, Porto
Coro Infantil Casa da Música; Raquel Couto · direcção musical
Gonçalo Vasquez · piano
Joaninha
29 / 09, Casa da Música, Porto
Coro Infantil Casa da Música; Raquel Couto · direcção musical
Gonçalo Vasquez · piano
Tracking the Creative Process in Music

A compositora editada pelo MIC.PT Sara Carvalho e o compositor editado pelo MIC.PT Diogo Alvim, são participantes na conferência internacional Tracking the Creative Process in Music que irá decorrer entre os dias 9 e 11 de Outubro na Universidade NOVA de Lisboa (Campus de Campolide). Neste sentido, no dia 9 Sara Carvalho irá fazer uma apresentação dedicada ao tema: Spinning Yarns: Gesture and indeterminacy in collaborative composition. A comunicação de Diogo AlvimComposing with real world programmes – terá lugar no segundo dia desta conferência, organizada pelo CESEM – Centro de Estudos de Sociologia e Estética Musical da Universidade NOVA de Lisboa, pelo INET-md – Instituto de Etnomusicologia, Centro de Estudos em Música e Dança com sede na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas (FCSH) da Universidade NOVA e pelo IRCAM – Institut de Recherche et Coordination Acoustique / Musique de Paris.

A peça Sax-Blue (1982-84) para saxofone e electrónica de Jorge Peixinho – compositor editado pelo MIC.PT –, está incluída no programa do concerto Talentos Emergentes, RECAST, por Philippe Trovão. Este espectáculo que será a culminação da residência deste saxofonista no O'culto da Ajuda, decorrerá nesta sala de concerto lisboeta no dia 26 de Outubro. RECAST é o projecto por Philippe Trovão, cujo objectivo principal é a preservação de obras compostas originalmente para saxofone e dispositivo electroacústico. "Para as três últimas obras do concerto será usada a simulação da câmara de eco Korg SE500, feita pelo compositor António de Sousa Dias. Uma das peças – Variants-Invariants de Costin Miereanu – serviu de inspiração para que Jorge Peixinho escrevesse Sax-Blue. A vontade de começar um projecto como este surgiu pelo gosto grande que sempre tive por repertório contemporâneo" – diz Philippe Trovão.
Diz-Concerto · com música de compositores e compositoras portuguesas

Obras de cinco compositores e compositoras editadas pelo MIC.PT estão incluídas no programa dos espectáculos do teatro musical para jovens, Diz-Concerto pelo Sond'Ar-te Electric Ensemble sob a direcção de Pedro Neves, que vão decorrer a 16 de Outubro no Centro Cultural de Cascais. As peças incluídas neste programa são: Sonho (2015) de Daniel Martinho para o poema de Fernando Pessoa, Ao desconcerto do mundo (2014) de Ângela da Ponte para o poema de Luís Vaz de Camões, Fala do velho do Restelo ao astronauta (2015) de Sofia Sousa Rocha para o poema de José Saramago, Quando eu nasci (2011) de Pedro Rebelo para o texto de Isabel Minhós Martins e Toc Toc Toc (2009) de João Madureira para o texto de Hélia Correia. Diz-Concerto é um espectáculo de teatro musical que se insere na tradição das obras como Pedro e o Lobo de Serguei Prokofiev, sendo um espaço musical e cénico que junta um narrador aos instrumentos da orquestra (flauta, clarinete, violino, viola, violoncelo e piano), à electrónica, e que nos traz textos / poemas de autores de referência portugueses, com música.
Novidades MIC​.​PT
Nova Página de Compositor no MIC.PT · Tiago Derriça

A partir de agora no portal MIC.PT está disponível uma nova Página de Compositor dedicada a Tiago Derriça, que nasceu em 1986 em Lisboa e que estudou no Conservatório de Música da Metropolitana, na classe de Violoncelo e, paralelamente, Composição na Academia de Música de Santa Cecília com Pedro Faria Gomes. Tiago Derriça realizou estudos de Mestrado na Escola Superior de Música de Lisboa e na Universidade de Évora. Na primeira contou com a orientação de Carlos Marecos e, na segunda, teve como orientador Christopher Bochmann. É também licenciado em Composição pela Escola Superior de Música de Lisboa, onde estudou com António Pinho Vargas, João Madureira, Luís Tinoco e Sérgio Azevedo. Tiago Derriça é actualmente professor de Composição e Teoria Musical na Academia de Amadores de Música, na Academia Musical dos Amigos das Crianças e na Escola Luís António Verney. A sua música tem sido interpretada por diversos grupos de música de câmara, sendo este um género para o qual tem dedicado grande parte da sua produção. Por outro lado, tem escrito também para várias orquestras e coros, incluindo a Orquestra Gulbenkian e Orquestra Metropolitana de Lisboa, a Albany Symphony Orchestra, o Coro Gulbenkian, Coro MPMP, Grupo Vocal Olisipo e Coro Ricercare. A sua produção inclui também a música de cena, tendo colaborado com o Teatro da Trindade e com a encenadora Maria Emília Correia.
Actualidade
Prémio Jovens Músicos / Festival Jovens Músicos 2019

Entre os dias 3 e 5 de Outubro realiza-se mais uma edição do Festival Jovens Músicos, organizado pela Antena 2 e pelo Serviço de Música da Fundação Calouste Gulbenkian. O programa destes três dias inclui concertos e outras iniciativas com acesso livre, que decorrerão em vários espaços da Fundação Gulbenkian. Este festival é o culminar da 33.ª edição do Prémio Jovens Músicos.  Como diz Luís Tinoco, director do Prémio e Festival Jovens Músicos: "O PJM é um evento com características únicas no nosso panorama musical, promovendo e divulgando o trabalho de jovens intérpretes mas, também, pela atenção que dedica à música portuguesa. Neste contexto, voltámos a associar-nos à SPA para promover a 8.ª edição do Concurso de Composição SPA / Antena 2. A obra do compositor Francisco Fontes, Manifesto – distinguida por um júri formado pelo maestro José Eduardo Gomes e pelos compositores Nuno Côrte-Real e Daniel Moreira – será ouvida em estreia no Concerto de Gala, interpretada pela Orquestra Gulbenkian. Como é habitual neste festival, contamos, também, com a participação de alguns históricos vencedores do PJM. Outros estarão presentes em jeito de homenagem, como é o caso de Samuel Bastos, um músico brilhante e de qualidades raras, laureado PJM em 2007, que nos deixou precocemente". O FJM 2019 constitui uma montra de novos talentos, dando a conhecer os músicos distinguidos nas várias categorias que estiveram a concurso na 33.ª edição do PJM - instrumentos solistas, música de câmara e jazz combo. O Jovem Músico do Ano 2019, solista-vencedor do Prémio Silva Pereira, apresentar-se-á no Concerto de Gala no dia 5 de Outubro.
9.º Concurso de Composição do Sond'Ar-te Electric Ensemble
nova música de câmara com electrónica · candidaturas até 1 de Dezembro

A fim de incentivar a disseminação de novas obras musicais o Sond’Ar-te Electric Ensemble organiza o 9.º Concurso de Composição – nova música de câmara com electrónica. Esta iniciativa dirige-se a compositores de todas as nacionalidades e idades, sendo que cada um deles pode candidatar-se com apenas uma obra composta em ou depois de 2015, com a duração entre 7 e 15 minutos, não editada comercialmente e não premiada em nenhum outro concurso nacional ou internacional. Os vencedores dos Concursos Sond'Ar-te passados não podem participar nesta edição. O júri do 9.º Concurso do Sond’Ar-te Electric Ensemble é constituído por: Philippe Leroux, Pedro Carneiro e Miguel Azguime. As inscrições estão abertas até ao dia 1 de Dezembro.
21.º Concurso Internacional de Composição Electroacústica – Música Viva 2020
candidaturas até 25 de Fevereiro de 2020

A fim de incentivar a criação e a difusão de novas obras electroacústicas, a Miso Music Portugal organiza e promove o 21.º Concurso Internacional de Composição Electroacústica – Música Viva 2020. Esta iniciativa é dirigida a compositores de todas as nacionalidades e idades, sendo que cada um deles pode submeter apenas uma obra – para o máximo de oito canais, com a duração entre 5 e 15 minutos, assim como não editada comercialmente e não premiada em nenhum outro concurso nacional ou internacional. A data limite para apresentação das obras a concurso é 25 de Fevereiro de 2020, e o premiado será anunciado no decorrer do Festival Música Viva 2020, que terá lugar no O’culto da Ajuda e no São Luiz Teatro Municipal em Lisboa, entre 26 de Maio a 6 de Junho de 2020. O júri do Concurso Música Viva 2020 é constituído pelos compositores: James Dashow (EUA), Claude Cadoz (França) e Miguel Azguime (Portugal).
Agenda Catálogo de Partituras MIC.PT Espaço Crítica para a Nova Música MIC.PT EN MISOMUSIC.COM MIC.PT Twitter IAMIC Facebook