NOVIDADES MIC​.​PT
Auckland
Auckland · Nova Zelândia
Música de Compositoras e Compositores Portugueses no Festival ISCM World New Music Days na Nova Zelândia

O festival ISCM World New Music Days (WNMD) na Nova Zelândia, que em 2020 foi adiado por causa da pandemia Covid-19, terá lugar no final do próximo mês de Agosto. Entre as peças incluídas no programa do festival encontram-se três obras de compositores portugueses, escolhidas no âmbito da Candidatura Oficial para o WMND da Miso Music Portugal/ MIC.PT, enquanto Secção Portuguesa da ISCM (Sociedade Internacional de Música Contemporânea); são elas: sobre a areia o tempo poisa (2016), para violino, violoncelo e piano, de Sara Carvalho; Íris-abandono… (2016), para vibrafone, de Paulo Bastos; e Colours (here in) (2018), para coro misto, de Daniel Davis. O programa do ISCM World New Music Days na Nova Zelândia (23-30 de Agosto, Auckland e Christchurch), acolhido pela CANZ (Composers Association of New Zealand), incluirá concertos de música orquestral, música de câmara e solista, assim como espectáculos com a participação de músicos que tocam instrumentos tradicionais taonga pūoro. No contexto do WNMD terá lugar também o festival da Asian Composers League (28-31 de Agosto, Christchurch), sendo que a música apresentada no âmbito desta iniciativa dupla incluirá peças novas e inovadoras propostas pelos membros da ISCM e ACL do mundo inteiro, e ainda um leque rico e variado da música da actualidade da Aotearoa (Nova Zelândia).
Pedro Rebelo Em Foco no MIC​.​PT em Julho
· © Geraldine Timlin
Pedro Rebelo · © Geraldine Timlin
Este mês o MIC.PT dedica a secção Em Foco a Pedro Rebelo, para assinalar o 50.º aniversário deste compositor, performer e investigador, cuja actividade constitui um desafio aos padrões convencionais no que às artes sonoras diz respeito. Pedro Rebelo é professor e director do Sonic Arts Research Centre da Queen’s University em Belfast. As suas obras são com regularidade tocadas internacionalmente e como performer de música improvisada tem-se apresentado em palco com os melhores artistas dedicados a este género (Chris Brown, Mark Applebaum, Carlos Zingaro, Evan Parker ou Pauline Oliveros). A sua música tem uma relação privilegiada com as novas tecnologias e a pluridisciplinaridade, sendo que recentemente Pedro Rebelo tem realizado projectos participativos com as comunidades de Belfast, das Favelas da Maré (Rio de Janeiro), das favelas em Moçambique e ainda com as comunidades itinerantes em Portugal.
Em Julho, Pedro Rebelo participará como orador no contexto do 8.º EIMAD – Encontro Internacional de Investigação em Música, Artes e Design (ESART, Castelo Branco), onde no dia 7 realizará uma conferência intitulada Som e música indisciplinados: pensar através da experiência auditiva. Adicionalmente, a instalação Sondando Conflito: Uma Performance em Cinco Atos de Pedro Rebelo e Matilde Meireles (criada em colaboração com a Tinderbox Theatre Company) está em exibição até ao dia 16 de Julho no Museu da Maré no Rio de Janeiro (Brasil) e faz parte da programação do Festival Jardins Efémeros que irá decorrer entre os dias 8 e 16 de Julho em Viseu.
Este mês visitem a secção Em Foco com uma nova entrevista a Pedro Rebelo (compositor editado pelo MIC.PT).
Actividade · Compositoras e Compositores Editados pelo MIC​.​PT

Do they know (2022) para barítono e orquestra é a nova obra de Daniel Davis (compositor editado pelo MIC.PT), baseada nos textos e poesia de Alexander Search (um dos semi-heterónimos de Fernando Pessoa) e trabalhada no contexto da oficina Composing for Voices (ENOA/ Fundação Calouste Gulbenkian) com a orientação da compositora Kaija Saariaho. Esta obra será apresentada no concerto final da oficina que terá lugar a 15 de Julho no Grande Auditório da Fundação Gulbenkian em Lisboa, e que contará com a interpretação de Eduarda Melo e Camila Mandillo (sopranos), André Henriques e Tiago Matos (barítonos) e da Orquestra Gulbenkian sob a direcção de Pedro Amaral. O programa deste concerto incluirá também a música de Solange Azevedo, Nelson Jesus, Lanquing Ding, Nino Russel, Jue Wang e Kaija Saariaho. Outra obra de Daniel Davis, Trekking End (2022) para trombone, piano e narrador, será estreada pelo Ensemble Contemporaneus (Francisco Serôdio, trombone; Vera Batista, piano) no contexto do espectáculo Bagagem de Mão, que terá lugar nos dias 22, 23 e 24 de Julho em Lagos, e cujo programa incluirá ainda duas estreias absolutas da música de Fernando C. Lapa e Tiago Derriça. Por fim, a peça Colours (here in) (2018) para coro misto de Daniel Davis será apresentada no âmbito do festival ISCM World New Music Days na Nova Zelândia (23-30 de Agosto).

A estreia mundial da obra Penso em ti, logo sou – Homenagem a António Coimbra de Matos (2022) para orquestra sinfónica de Diogo da Costa Ferreira, terá lugar no dia 10 de Julho na Aula Magna da Universidade de Lisboa. Este concerto (Arte do Saber) incluirá ainda no programa a música de Fábio Cachão, Francisco Lima da Silva e Beethoven, contando com a interpretação da OAUL – Orquestra Académica da Universidade de Lisboa sob a direcção de Tiago Oliveira. «O Prof. António Coimbra de Matos foi – e é – mais do que uma figura incontornável da psicanálise e da saúde mental em Portugal: um pensador irreverente, um Mestre, um revolucionário, um criador de inquietude e desassossego. Muito lhe devo por tudo o que me ensinou: a relação, a criação, o futuro. Um ano após o seu falecimento, esta é a homenagem que lhe presto» – diz Diogo da Costa Ferreira, compositor editado pelo MIC.PT, que também é artista multidisciplinar, escritor, professor e investigador. Depois de um concurso de encomendas organizado pela OAUL e aberto a jovens compositores portugueses, este concerto é o momento em que são reveladas as obras de Diogo da Costa Ferreira, Fábio Cachão e Francisco Lima da Silva. Humanidades, Artes e Ciências serviram de mote à sua criação, sendo elas áreas da academia e do conhecimento que fazem parte da existência primordial da OAUL.
Hugo Vasco Reis · © Johannes Lins
Hugo Vasco Reis · © Johannes Lins

Em Julho e Agosto Hugo Vasco Reis (compositor editado pelo MIC.PT) terá actividades em Portugal e na Alemanha. O seu ciclo de cinco novas peças acusmáticas, Cinco Lugares sobre a Fragilidade (2022), terá a sua estreia absoluta em Vila de Rei, Oleiros, Proença-a-Nova, Mação e Sertã, nos dias 3, 10, 17, 31 de Julho e 7 de Agosto, no contexto do projecto Fôlego. A obra Micro Images for Piano (2017) será interpretada por Leonor Pereira no Conservatório de Música do Porto a 7 de Julho. E, por fim, a estreia absoluta de Dimensions IV (2022) para violoncelo e electrónica, na interpretação de Katharina Gross, terá lugar no festival drei in eins em Kassel na Alemanha, a 31 de Julho. «Na minha prática trabalho, primeiro, do micro para o macro e depois do macro para o micro. Inicio qualquer processo de criação baseado numa reflexão e posterior pesquisa. Assimilo a reflexão e trabalho os gestos musicais que a medeiam, no tempo e no espaço. Os gestos são moldados e percepcionados, constituindo um mapa e uma forma. Está assim definida a estrutura macro do processo de criação. Nesta fase inverto o método e começo a trabalhar o detalhe de cada gesto, do macro para o micro...» – disse Hugo Vasco Reis na Entrevista do MIC.PT de 2019.
Jaime Reis · © Sofia Nunes
Jaime Reis · © Sofia Nunes

A obra Fluxus, Dimensionless Sound (B) (2012-2017) para flauta e electrónica de Jaime Reis (compositor editado pelo MIC.PT), será interpretada pela flautista Monika Streitová no contexto dos concertos Connections (P/CZ) que irão decorrer na República Checa: no dia 7 em Olomouc (Lichtzwang 2022, UCUP – Kaple Božího Těla) e no próximo dia 8 em Praga (Atrium na Žižkově). Estes concertos co-programados pela EMSCAN – electroacoustic music sound courses alumni network, contarão ainda com a participação de Beatriz Costa (violino), Nao Higano (soprano), Marek Keprt (piano), Jaime Reis e Mariana Vieira (electrónica), e incluirão também a música de Clotilde Rosa (Densidades), Jorge Peixinho (Sine Nomine), Mariana Vieira (Tre) e de vários compositores checos e eslovacos. Adicionalmente, no próximo dia 16 de Julho, no ZKM – Zentrum für Kunst und Medien em Karlsruhe na Alemanha, o Quarteto de Guitarras Aleph irá interpretar a obra Fluxus, Vortex – Schubkraft para quarteto de guitarras e electrónica (primeira audição na Alemanha), composta por Jaime Reis em 2019. O programa deste concerto incluirá ainda a música de José María Sánchez Verdú e Zeynep Gedizlioğlu.

A obra Drive_! (2013) para vibrafone, multipercussão e electrónica de Igor C. Silva, está incluída no programa do recital de Jonathan Silva, que decorrerá a 7 de Julho na Oficina das Artes da Murtosa. Outras duas obras deste compositor editado pelo MIC.PT – Plastic Air (2017) para duo flexível, electrónica e vídeo/ luz e In Case of Change (2020) para kalimba e electrónica –, serão interpretadas por João Miguel Braga Simões (percussão) e Igor C. Silva, durante dois concertos nos dias 14 e 17 de Julho no espaço artístico independente, Ermo do Caos no Porto. «A capacidade de um artista focar a sua atenção criativa num determinado ponto expressivo, permite uma maturação da sua própria linguagem. A liberdade surge assim como a ferramenta mais importante para que o compositor consiga olhar para a sua música a partir de dentro e não a partir de cânones da prática corrente» – disse Igor C. Silva na Entrevista do MIC.PT de 2015.

José Mesquita Lopes, compositor editado pelo MIC.PT, guitarrista e professor, é um dos membros do júri no contexto do 2.º Concurso Internacional Violão & Violão, cujas fases finais terão lugar nos próximos dias 4 e 15 de Julho. Este Concurso visa promover e incentivar o intercâmbio de experiências musicais entre guitarristas de Portugal e Brasil, estimulando o gosto pela música e promovendo novos talentos musicais. Adicionalmente, no passado dia 20 de Maio através da plataforma Violão & Violão foi realizada on-line uma entrevista com a participação de José Mesquita Lopes e do guitarrista e compositor Ricardo Abreu. Nesta conversa, cuja gravação está disponível até ao dia 15 de Outubro na plataforma Simpósio In Music (secção de guitarra), José Mesquita Lopes fala não só sobre a guitarra e a composição para guitarra em Portugal, mas também sobre a sua própria obra que inclui este instrumento.

Filipe Lopes, compositor editado pelo MIC.PT, é o autor da sonoplastia para o projecto Rostos da Maré – Vidas em Rede entre Matosinhos, Vila do Conde e Póvoa de Varzim, constituído por um livro, uma exposição e instalação audiovisual produzidas pela Bind'ó Peixe – Associação Cultural e pela Escola Superior de Media, Artes e Design – P. Porto. Esta sonoplastia é constituída por três composições diferentes que habitam em permanência cada uma das três esculturas, tendo sido inspirada nas sonoridades marítimas e nas entrevistas realizadas. A primeira apresentação decorreu no passado dia 28 de Junho no Mercado Municipal de Matosinhos. A instalação segue no dia 8 de Julho para o Centro de Memória de Vila do Conde, e depois, a 14 de Julho, para o Centro Coordenador de Transportes da Póvoa de Varzim.

Durante os meses de Julho e Agosto Vítor Rua, compositor editado pelo MIC.PT, guitarrista e performer, irá subir ao palco de vários festivais em Portugal e na Europa. Nos próximos dias 15 e 16 de Julho o artista irá participar em várias actividades (conferências, oficinas, concertos, ...), organizadas no contexto da 4.ª Bienal Jorge Lima Barreto em Vinhais. No dia 23 Julho Vítor Rua, juntamente com o poeta Feliciano de Mira, com o cineasta Edgar Pêra e a violoncelista Helena Espvall, darão um concerto multimédia integrado no Festival EV.EX. – Évora Experimental. E por fim, os Telectu (Ilda Teresa Castro e Vítor Rua) irão apresentar-se no âmbito de dois festivais: no próximo dia 28 de Julho no contexto da 4.ª edição do Braille Satellite na Lituânia; e no dia 27 de Agosto, interpretando o Belzebu, no ZigurFest em Lamego.

Em Julho e Agosto a obra Íris-abandono… (2016) para vibrafone de Paulo Bastos (compositor editado pelo MIC.PT) será apresentada no contexto de dois concertos. O primeiro, na interpretação do percussionista Jonathan Silva, irá decorrer no dia 7 de Julho na Oficina das Artes do Município da Murtosa (ciclo, Quintas das Artes). O segundo concerto está integrado no programa do festival ISCM World New Music Days, que irá decorrer entre os dias 23 e 30 de Agosto na Nova Zelândia. «Íris-abandono… para vibrafone solo é um ciclo de sete miniaturas inspiradas no poema Anto do poeta português Mário Sá-Carneiro. Escrito numa atmosfera intimista, cada momento deste ciclo escolhe um instante onírico do poema. O próprio título do ciclo – Íris-abandono… – transmite a aura inebriante das palavras do poeta» – revela Paulo Bastos na nota de programa.

A obra sobre a areia o tempo poisa (2016), para violino, violoncelo e piano de Sara Carvalho (compositora editada pelo MIC.PT) será apresentada no contexto do festival ISCM World New Music Days, que irá decorrer entre os dias 23 e 30 de Agosto na Nova Zelândia (Auckland e Christchurch). «O título da obra é retirado do poema Fundo do Mar do livro Poesia I de Sophia de Mello Breyner Andresen» – diz Sara Carvalho na nota de programa; e continua: «Tal como é sugerido no poema de Sophia, o meu material musical também se afirma partir de opostos que coabitam dentro de um mesmo espaço, onde tudo tanto está dividido como está interligado, como se de uma teia se tratasse. Assim, como num sonho, os eventos da obra sucedem-se de forma não linear; e o tempo, labirinto de viagens, vai libertando as memórias que já estavam desabitadas.»
Actualidade
partituras
Orquestra de Altifalantes · © MMP
23.º Concurso Internacional de Composição Electroacústica Música Viva 2022

A fim de incentivar a criação e a difusão de novas obras electroacústicas, a Miso Music Portugal promove o 23.º Concurso Internacional de Composição Electroacústica Música Viva 2022. Esta iniciativa é dirigida a compositores e compositoras de todas as nacionalidades e idades, sendo que cada um(a) deles/ delas pode submeter apenas uma obra – não editada comercialmente e não premiada em nenhum outro concurso nacional ou internacional. A data limite para apresentação das obras a concurso é 31 de Agosto de 2022, e o premiado/ a premiada será anunciado/a no decorrer do Festival Música Viva 2022, que terá lugar entre 18 e 27 de Novembro, no O’culto da Ajuda em Lisboa. O Júri internacional do Concurso Música Viva 2022 é constituído pelos compositores: Jonty Harrison (Reino Unido) · Kees Tazelaar (Países Baixos) · Miguel Azguime (Portugal).
 
RIZOMA · Apresentação
logo · riZoma
logo · riZoma
riZoma · Plataforma de Intervenção e Investigação para a Criação Musical

riZoma é uma rede formada por um conjunto alargado de entidades portuguesas activas ligadas à criação, à educação, à interpretação e à investigação, com larga experiência no contexto da música erudita contemporânea. A Plataforma riZoma foi criada para estabelecer o diálogo e a articulação entre as entidades que a constituem e para falar a uma só voz junto do público e das tutelas, dando protagonismo ao esforço perpetrado por muitos e criando uma força nova que assenta no valor inestimável que a música erudita contemporânea criada em Portugal tem para a identidade cultural do nosso país.
RIZOMA · Calendário
logo · riZoma
logo · riZoma
O Calendário on-line da riZoma constitui uma fonte indispensável de difusão e de informação do sector da música erudita contemporânea em Portugal, reunindo e revelando todas as actividades organizadas e promovidas por cada uma das entidades da riZoma, afirmando e evidenciando a riqueza deste setor no nosso país.
MÚSICA DE INVENÇÃO E PESQUISA
torre, rádios
imagem ilustrativa
· 8 e 22/ 07 · 1h00 · Antena 2 ·
Na 1.ª Pessoa com Christopher Bochmann

Dois programas do ciclo Na 1.ª Pessoa, à conversa com Christopher Bochmann. Neste ciclo de entrevistas a compositores portugueses da actualidade, procuramos conhecer o universo criativo e a música dos próprios criadores. Nestes dois programas transmitimos uma entrevista em duas partes de Pedro Boléo a Christopher Bochmann, compositor, professor e maestro nascido em 1950 e que vive e trabalha há mais de 40 anos em Portugal. Christopher Bochmann fala-nos das suas ideias acerca da música e da composição, mas também de outros aspectos relevantes do seu rico percurso artístico, em estreita ligação com o seu trabalho enquanto professor e director de orquestra. Uma forma de conhecer melhor o percurso, as ideias e a música deste compositor, com destaque para algumas das suas obras mais recentes.
CD
imagem ilustrativa
· 5 e 19/ 08 · 1h00 · Antena 2 ·
Mesa Redonda: a música transforma o nosso tempo (reposição)

A música transforma o nosso tempo: uma mesa redonda sobre música e política (primeiramente transmitida entre Março e Abril de 2022), com os compositores Miguel Azguime, Pedro Lima e Pedro Rebelo e o musicólogo Manuel Deniz Silva. Transmitimos esta mesa redonda em duas partes moderada por Pedro Boléo, em que se abordam as possibilidades da música contemporânea de contribuir para a transformação social e política, tomando como ponto de partida a ópera A Laugh to Cry de Miguel Azguime, onde se reflecte sobre a hegemonia do sistema capitalista, a destruição da memória e a devastação do planeta. De que formas pode a música reflectir e intervir nos problemas do mundo? Que tem a música da actualidade a dizer sobre as desigualdades e as opressões, as urgências climáticas, os conflitos sociais, as formas de viver e as maneiras de pensar? Como podem compositores, intérpretes e ouvintes tomar posição e desafiar, através da música, os nossos tempos?
Novas Partituras no MIC​.​PT
andorinhas
imagem ilustrativa
A edição de partituras pelo MIC.PT tem como alvo a divulgação de partituras de obras de compositores residentes em Portugal, fomentando a sua escolha por parte de músicos e o seu estudo no meio académico.
Cândido Lima (CL0184)
Arcaicas Harmonias ninfas, bosques e deuses – alegorias [rev. Antonio Fruscella] (2016) · guitarra
Evgueni Zoudilkine (EZou0002)
Intermezzo n.º 1 (Quadro Mágico) (2021) · piano
novos CD no MIC​.​PT
António Ferreira
Viagem de Inverno (LP)

Obras de electroacústicas de António Ferreira: Fagood, Max Tot, Strange e Electronix.
Miłosz Pękala
Monopercussion 2

Obras de Miłosz Pękala, Igor C. Silva (Your Trash · 2016), Sergio Krakowski, Thymme Jones, Ben Zucker e Paweł Mykietyn.
estreias recentes
Luís Neto da Costa
Illustrate Internal Clouds>> ver obra
2 / 06, Auditório de Serralves, Porto
ars ad hoc · Ricardo Carvalho (flauta), Horácio Ferreira (clarinete), João Casimiro Almeida (piano), Ana do Vale e Diogo Coelho (violino), Ricardo Gaspar (viola), Gonçalo Lélis (violoncelo)
Todos os gatos têm sete vidas>> ver obra
7 / 06, Coliseu Porto Ageas
Orquestra de Sopros da Academia de Música de Costa Cabral, Orquestra Sinfónica da Academia de Música de Costa Cabral, Coros e Teatro Musical da AMCC, Hélder Tavares (maestro)
Sara Ross
Envolto >> ver obra
7 / 06, Teatro Garcia de Resende, Évora
Jill Lawson (piano)
Prelúdio – Intermezzo (clarinete de Mara – segundo Brahms e Debussy)>> ver obra
The Fifth String II>> ver obra
8 / 06, Salão Nobre do Edifício dos Congregados, Braga
Mara Salgado (clarinete), Carolina Palha (viola)
Francisco Fontes/ Nuno da Rocha/ Pedro Lima Soares
O Tempo (Somos Nós)>> ver obra
16-17 / 06, Ópera na Prisão: Traction, Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa
Orquestra Gulbenkian, José Eduardo Gomes (maestro), André Henriques (barítono), Carla Simões (soprano), Inês Constantino (meio-soprano), Frederico Projecto (tenor), Reclusos do EP Leiria-Jovens, Coro EP Leiria-Jovens
Propagation>> ver obra
Uma peça apropriada>> ver obra
18 / 06, O'culto da Ajuda, Lisboa
Sond'Ar-te Electric Ensemble, sob a direcção de Guillaume Bourgogne; Carlos Caires (electrónica); Rui Penha (electrónica) · Sílvia Cancela (flauta); Nuno Pinto (clarinete); João Dias (percussão); Vítor Vieira (violino); Jorge Alves (viola); Filipe Quaresma (violoncelo); João Casimiro Almeida (piano)
Lettre à l'être imbu>> ver obra
22 / 06, Campus de Gambelas, Universidade do Algarve, Faro
Duo Sigma: Ana Cláudia Assis (piano), Miguel Rocha (violoncelo)
Cantares do Alentejo – Prelúdio e três suites
para trio de guitarras
>> ver obra
25 / 06, Cante Alentejano com Erudição, Cineteatro de Serpa
Bracara Augusta Guitar Trio (Artur Caldeira, Daniel Paredes e Artur Gil Godinho); Grupo Coral e Etnográfico da Academia Sénior de Serpa; Grupo Coral e Entrográfico os Camponeses de Pias; Lítio Godinho (direcção artísitca)
Language Building>> ver obra
27, 28 / 06, Viena, Graz, Áustia
30 / 06, Centro Cultural de Belém, Lisboa
Cordula Bürgi (maestrina); Cantando Admont
João Moreira
30 / 06, KlexosLab, Plasencia, Espanha
Carlos Silva (clarinete) [Ensemble DME]
Maratona Ópera XXI
Sond'Ar-te · © Perseu Mandillo
12.º CONCURSO DE COMPOSIÇÃO DO Sond’Ar-te Electric Ensemble · NOVA MÚSICA DE CÂMARA COM ELECTRÓNICA

A fim de incentivar a disseminação de novas obras musicais o Sond’Ar-te Electric Ensemble organiza o 12.º Concurso Internacional de Composição – Nova Música de Câmara com Electrónica. Esta iniciativa dirige-se a compositores e compositoras de todas as nacionalidades e idades, sendo que cada um deles pode candidatar-se com apenas uma obra composta em ou depois de 2017, com a duração entre 7 e 15 minutos, não editada comercialmente e não premiada em nenhum outro concurso nacional ou internacional. Os vencedores dos Concursos Sond’Ar-te passados não podem participar nesta edição. O júri do 12.º Concurso do Sond’Ar-te Electric Ensemble é constituído por: Agata Zubel, Jêrome Combier, Pedro Neves e Miguel Azguime. As inscrições estão abertas até ao dia 31 de Outubro de 2022.
Exposição · Ser Músico em Portugal (1750-1985)

Com produção e curadoria dos investigadores Cristina Fernandes, Manuel Deniz Silva e Tiago Manuel da Hora e organizada pelo projecto PROFMUS, a exposição Ser Músico em Portugal (1750-1985) – uma viagem pela história do associativismo musical em Portugal está aberta ao público no Museu da Música Portuguesa – Casa Verdades de Faria (Monte Estoril) entre os dias 2 de Julho e 6 de Novembro. Trata-se de uma iniciativa inédita e pioneira que trará ao público uma extraordinária riqueza documental conservada em vários acervos (Irmandade de Santa Cecília/ Montepio Filarmónico – Basílica dos Mártires; Arquivo Histórico do Sindicato dos Músicos depositado no Museu da Música Portuguesa), que é uma fonte essencial para a história da vida musical em Portugal entre o final do Antigo Regime, quando se dá um crescimento no associativismo musical dos músicos portugueses, até à integração de Portugal na então CEE (1985), e ao consequente início da livre circulação dos profissionais da música no mercado de trabalho europeu. PROFMUSSer músico em Portugal: a condição socioprofissional dos músicos em Lisboa (1750-1985) é um projecto de investigação do Instituto de Etnomusicologia – estudos em música e dança (INET-md) coordenado pelo musicólogo Rui Vieira Nery, e que conta com uma equipa de 23 investigadores. É o primeiro projecto desta natureza a trabalhar sobre a temática em causa.
Academia · Sond'Ar-te Electric Ensemble · SONDAR, DECIFRAR E INTERPRETAR A MÚSICA DE HOJE
INSCRIÇÕES ABERTAS ATÉ AO DIA 7 DE JULHO

O Sond'Ar-te Electric Ensemble oferece em 2022 um programa intensivo de formação para estudantes de instrumento, de nível secundário e de nível superior, que procurem Sondar, Decifrar e Interpretar obras do nosso tempo; envolvendo-se na descoberta de um repertório contemporâneo estimulante, incluindo obras que integram meios electroacústicos. Este ano a Academia Sond'Ar-te irá decorrer em Vila Real entre os dias 4 e 8 de Setembro, na Fundação da Casa de Mateus.
Entrevistas MIC​.​PT
camera
Presentemente o Canal YouTube do MIC.PT contém vídeos com 18 Novas Entrevistas a compositoras e compositores residentes em Portugal realizadas desde 2019, assim como com oito Entrevistas do Arquivo do MIC.PT realizadas entre 2003 e 2005.
Conduzidas por Pedro Boléo, filmadas no O'culto da Ajuda em Lisboa e realizadas no contexto do ciclo Na 1.ª Pessoa das emissões radiofónicas Música Hoje e Música de Invenção e Pesquisa produzidas pelo MIC.PT e pela Miso Music Portugal para a Antena 2, estas Novas Entrevistas constituem uma (re)visita ao universo criativo dos vários compositores e compositoras editados pelo MIC.PT, dando seguimento às Entrevistas Históricas realizadas pelo MIC.PT há mais que 15 anos e que agora constituem registos únicos da evolução da linguagem de cada um dos artistas entrevistados.
Para aceder às Entrevistas sigam as ligações em baixo e/ ou visitem o Canal YouTube do MIC.PT.

Entrevistas recentes
Ângela Lopes   Ângela da Ponte   Filipe Esteves   José Carlos Sousa
Entrevistas 2019-2021
Amílcar Vasques-Dias   António de Sousa Dias   Carlos Marecos   Daniel Schvetz   David Miguel   Isabel Soveral
Jaime Reis   João Quinteiro   Miguel Azguime   Patrícia Sucena de Almeida   Pedro Amaral   Rui Penha
Sara Carvalho   Vítor Rua
Entrevistas 2003-2005
Álvaro Salazar   Amílcar Vasques-Dias   António Pinho Vargas   Christopher Bochmann   Filipe Pires   Luís Tinoco
Paulo Raposo   Pedro Amaral
footer
Agenda Catálogo de Partituras MIC.PT Espaço Crítica para a Nova Música MIC.PT EN MISOMUSIC.COM mail MIC.PT Twitter IAMIC Facebook