Compositores

Foto
Obras
Entrevista
Bibliografia
Partituras
Discografia
Áudio
Imagens
Vídeos
Multimédia
Programa Rádio
Programa Televisão
Outros
Dados de intérprete
Jorge Peixinho nasceu no Montijo, a 20 de Janeiro de 1940. Notabilizou-se como compositor, pianista, crítico, professor, conferencista e animador cultural. Teve um papel ímpar na divulgação da música contemporânea em Portugal e da música portuguesa no estrangeiro, objectivos que mobilizaram notavelmente o Grupo de Música Contemporânea de Lisboa, fundado em 1970 e por ele liderado. Participou em inúmeros Festivais de Música Contemporãnea, a nível nacional e internacional, e colaborou regularmente com os Encontros Gulbenkian de Música Contemporânea. Após a conclusão dos seus estudos de piano e composição no Conservatório de Lisboa, Jorge Peixinho estudou como bolseiro da Fundação Gulbenkian em Roma. Trabalhou com Luigi Nono em Veneza e mais tarde com Boulez e Stockhausen, no âmbito dos Meisterkurse da Academia de Basileia. Participou em 1967 e 1968 nos projectos de composição colectiva promovidos (e dirigidos) por Stockhausen. Em 1972/73, efectuou um estágio no estúdio de música electrónica IPEM, em Gent (Bélgica) Jorge Peixinho integrou o painel de júris de vários concursos internacionais de composição e foi membro do Conselho Presidencial da Sociedade Internacional de Música Contemporânea. Faleceu a 30 de Junho de 1995. Disse o compositor sobre a sua obra musical: “O objectivo da minha música é a construção e organização de um novo e pessoal mundo sonoro. Explorei profundamente e intensivamente todas as relações entre a harmonia e o timbre para construir uma espécie de rede muito densa de sons transformados. A característica principal da minha música é uma espécie de “atmosfera sonora onírica”, na qual surgem pequenas transformações através de artífícios contrapontísticos, filtragens harmónicas e tímbricas, etc. Dou também muita importância à ambiguidade entre a continuidade e a descontinuidade." ("Biografia de Jorge Peixinho" in MACHADO, J. (org.), Jorge Machado - In Memoriam, Editorial Caminho, 2002, pp.21-22)